Thursday, August 16, 2007

É de tempo o cais
onde te espero
há quanto tempo?
Não sei!
há tantas vidas
que ficaram por aí
esmaecidas
esperanças que aninhei
dores que não quero...
é de tempo o cais
onde te aguardo
de tempo
duma espera sem final
dum tempo silente, sepulcral
sem laivos de anil
ou sol
um tempo pardo...
mas se acaso um dia
amor ausente
acostares a este cais
onde te espero
ó manhã de luz
resplandescente
será de transcendência
o que te quero!...


Maria Mamede

(in No Cais do Tempo)

4 Comments:

At 1:02 PM, Blogger Maria said...

O cais, sempre de partida e sempre de chegada...
O tempo, tantas vezes sem tempo para viver o tempo, o tempo do tempo...

Como te percebo, Maria Mamede...

Beijinhos e boa noite

 
At 2:43 PM, Blogger De Amor e de Terra said...

Obrigada Linda!!!
E não são as Mulheres que mais se fazem mal e bem?!
E não são elas as melhores Amigas, Mães, Irmãs, Filhas, as que melhor se compreendem?!..

Beijos Amiga

Maria Mamede

 
At 5:47 PM, Blogger a.filoxera said...

Enquanto forem cais, que sejam de partida para novas amizades e de chegada a novas harmonias.
Até breve.

 
At 2:17 PM, Blogger De Amor e de Terra said...

Minha querida Filoxera, obrigada pelo que desejas; além de agradecer, retribuo em dobro.

Beijos Amiga

Maria Mamede

 

Post a Comment

<< Home